UM CERTO REVIVALISMO DOS ANOS 80

25 Ago

As modas tendem por norma a serem cíclicas, retornando muitas vezes sob a forma de influências, outras vezes na sua forma integral, chegando mesmo por vezes, a perpetuarem-se como nuance intemporal de determinado estilo! É desta forma que vemos agora imergir todo este revivalismo aos anos 80, a que temos assistido nos últimos tempos. Junto de todos quadrantes culturais da referida década, onde a musica tem sido talvez o principal actor, mas ao qual o cinema não se tem mantido indiferente, tendo mesmo vindo a intensifica-lo. Mediante isto, resolvemos debruçarmo-nos sob a mesma conjuntura, visando a nossa primeira incursão ao mundo da TV, neste espaço.

Uma vez que nos encontramos naquele período do ano, em que neste nosso mundo globalizado, as televisões vão preparando a sua rente, deixando por hora as suas grelhas, entregues as repetições. Fomos encontrar nesse baú, aquela que poderá ser a maior influência cinematográfica que os anos 80, legaram as décadas vindouras!


Quiçá mesmo uma das maiores influências culturais actuais, que nos foram legadas, provenientes dessa década? Mas antes de responder a tal pergunta, vamos antes incidir sob outra. Tentando fazer prova de que o tal revivalismo, se tem mesmo feito sentir no mundo do cinema!

– Se duvidas houvesse, bastaria olharmos para quantidade de “reboots” a sagas dos anos 80, a que temos assistido nos últimos anos: Predadores (suposto estriar esta semana por cá), Pesadelo Em Elm Street (já estriado durante este ano), Carate Kid (esta atrasada a estreia por cá), bem como a tentativa de fazer renascer os heróis consagrados da década (tais como John McClane/Die Hard), John Rambo/Rambo, Indy /Indiana Jones). E toda uma postura “macho” aventureiro, errante, que os caracterizava. Algo que já nos foi possível constatar este ano, primeiro na adaptação para cinema da serie Soldados da Fortuna, e mais recentemente no novíssimo de Stallone, Os Mercenários/The Expendables. Sendo exactamente numa aclamada serie, que partilha e engloba muitos desses pressupostos que vamos encontrar a resposta para a nossa pergunta inicial.
Miami vice que também já teve a sua adaptação para cinema em 2006*, é inegavelmente um “ícone dos 80’s”. A novidade aqui, será porventura o facto de não nos termos ainda apercebido da maneira radical como quase sozinha, mudou para sempre, sobretudo o cinema de acção. Mas não só, acabando por cimentar todo um estilo. Ao que passaremos imediatamente, não sem antes fazer um pequeno apanhado da serie.

A referida serie, recebeu entre nós o título de Acção em Miami/Miami Vice, e esteve no ar nos E.U.A. de 1984/1990 (tendo sido na altura emitida pela RTP, pode actualmente ser revista no canal FX). Foi criada por Michael Mann (dono de um estilo visual único, e realizador de filmes como: Caçada ao Amanhecer, O Ultimo dos Moicanos, e aquele que poderá ser considerado como o melhor policial de sempre, Heat/Cidade Sob Pressão), girava em torno de dois polícias no combate ao submundo dos cartéis e do tráfico de droga. Atingindo o seu auge entre 1986/1987, altura em que cada episódio chegava custar cerca de 1 milhão de dólares, e a serie quebrava todos os recordes de audiência, tornando-se mundialmente famosa (nomes como Phil Collins, Júlia Roberts, Bruce Willis, ou Frank Zappa apareceram como actores convidados, em episódios da serie).

A personagem de “Sonny  Crockett “ rendeu ao actor Don Jhonson um Globo de Ouro, mas sobretudo imortalizou-lhe como mega estrela originaria da televisão. Algo que até a data não se verificava, já que as mesmas, eram vistas como estrelas de uma segunda liga, espera de darem o salto para o grande ecrã. E talvez muito do apelo em é ser o actor principal de uma serie de TV, para os actores da lista A em Hollywood dos nossos dias, tenha começado a ser escrito aqui. (Don Johnson também tentou o salto para o grande ecrã, mas sem grande sucesso. Foi casado por duas vezes com actriz Melaine Grith, em 1976 e entre 1989 e 1996, com quem iniciou uma relação quando esta tinha apenas 14 anos. Ficara para história como uma das estrelas mais mediáticas dos anos 80, considerada a titulo de graça, como o Warren Beatty dos pobres, no que concerne aos badalados affairs que ambos tiveram).

Ricardo Tubbs, interpretado pelo actor Philip Michael Thomas, era o inseparável parceiro de Sonny Crockett em Miami Vice. Tendo-se igualmente convertido num ícone da Tv, não logrou no entanto continuar a fazer carreira no meio. Retirando-se basicamente após o termino da serie em 1990. (Tem dois discos editados e mantém uma carreira musical de pequena monta. Teve cinco filhas, de três relações diferentes).

Uma vez enquadrada e relembrada a serie, encaminhamo-nos então para o esclarecimento da nossa questão inicial. Numa década que fora marcada cinematograficamente pela consolidação do conceito dos “Blockbusters” (grandes produções, estriadas no verão, com o intuito de capitalizarem nas receitas) que fora iniciada ainda nos anos 70, através de filmes como Tubarão ou Star Wars . E pelo inicio das sequelas em massa (Alien´s, Mad Max, Arma Mortífera, Regresso ao Futuro etc), interrogamo-nos sob qual o papel desempenhado por Miami Vice!

Mas quando olhamos para uma qualquer cena de acção de um filme dos nossos dias, e virmos uma perseguição de carros filmada de um ângulo baixo, um polícia que se veste não apenas a civil, mas que se traja de maneira “cool” e ostenta roupas de marca. Virmos carros desportivos a rodos, explosões espectaculares, e mulheres” sexys” a toda a volta, e acharmos que estamos na presença de um qualquer videoclipe de Hip hop. Teremos que nos lembrar que tudo isto provem de um estilo visual, no qual o Miami Vice foi pioneiro. Não tendo esta referência ao Hip hop, sido de todo acidental, já que esta cultura fortemente enraizada nos nossos dias, apresenta pelo menos do ponto de vista musico-visual muitos pontos de inspiração em Miami vice (muito dos clipes musicais de Hip hop, que invadiram a televisão a partir da segunda metade dos anos 90, são a prova disto). Contribuindo assim para toda uma subcultura associada a Miami Vice, sem a qual nunca existiriam filmes como por exemplo Os Bad Boys. E que estende os seus tentáculos sob uma enorme variedade de coisas (são comuns as referências a serie, ex: Philip Michael Thomas/Ricardo Tubbs, emprestou a sua voz, ao personagem Lance Vance da Saga GTA Vice City. Num episodio da famosa serie dos anos 90 freinds, que decorria no passado em plenos anos 80. Duas personagens parodiavam o estilo de Sonny Crockett, ao aparecerem vestidas com blazers brancos e t-shirts coloridas).

Miami Vice é contemporânea da MTV (1982), e soube ir beber ao novo estilo de imagens que o canal trouxe, para assim inventar o seu próprio estilo, que no final acabaria por influenciar de volta a própria MTV.

*Curiosidades: Miami Vice de 2006 realizado por Michal Mann, que tinha Colin Farrell no papel de “Sonny Crockett” e Jamie Foxx interpretando a personagem Ricardo Tubbs. Não foi o “hit” que se esperava, mas ainda assim teve um bom desempenho. É seguramente daqueles filmes para nos deixarmos ir na sua onda, algo que se verifica muito mais eficazmente no segundo visionamento. Pois não sendo nenhuma obra-prima, esta longe de ser um mau filme. E talvez alguma da insipiência verificado junto de certo público, tenha origem em querer manter-se tão fiel ao espírito da serie. Não inovando em nada, sendo assim vitima de si próprio, já que os conceitos vanguardistas que lhe garantiram sucesso, hoje estão assimilados e fazem parte do denominador comum.

Fica aqui o vídeo do tema musical, atribuído ao personagem de Sonny Crockett na serie. E se duvidas houvessem daquilo que falávamos, basta ver este vídeo que ele fala por si…
http://www.youtube.com/v/8KmPa6_wl14?fs=1&hl=pt_PT&color1=0x234900&color2=0x4e9e00

6 Respostas to “UM CERTO REVIVALISMO DOS ANOS 80”

  1. Ana Agosto 25, 2010 às 11:58 am #

    Os anos 80 deram mesmo um grande contributo para o que ouvimos e vemos,nos dias de hoje…
    No cinema, penso que o tema da violencia começou mesmo a ser mais explorado, por esta altura..Não ha duvida que as cenas de açao nunca mais foram as mesmas e ainda hoje verificamos esse conttributo…Ainda bem que,na altura,exitiram pessoas que ousaram inovar…🙂

  2. daniel baptista Agosto 28, 2010 às 1:50 pm #

    Olá Ana! Antes de mais agradecer os comentários, que tem sido sempre muito interessantes. Depois realçar o que dizias quanto aos que ousaram inovar, e sublinhar que era bom que continuassem:)!

  3. dardevelin-blogtastico Agosto 28, 2010 às 5:40 pm #

    @Todos, não podia estar mais de acordo😄

  4. Ana Agosto 28, 2010 às 5:43 pm #

    Isso seria realmente bom (que continuassem a inovar…), agora se têm inovado ou nao…penso que isso daria uma outra discussão….🙂

  5. dardevelin Agosto 28, 2010 às 5:46 pm #

    @ Ana, eu acho que para onde caminhamos a inovação é inevitável. A pirataria sem duvida afecta este nicho que é o mundo do cinema. Faz mal reduzindo a oportunidade inovar visto que as receitas reduzem mas por outro também impulsiona a que os trabalhos sejam de qualidade, para que haja realmente o prazer de ir ao cinema ver os ditos filmes.

  6. Ana Agosto 28, 2010 às 11:24 pm #

    Espero sinceramente que sim…que sirva como um impulsionador para que se produzam filmes de qualidade,porque,na verdade, por muito bom que seja o ecra plasma da sala de estar….a experiência cinema (ao vivo e a cores) continua a ser imbatível!!🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: