De olhos fechados ao sabor do marketing!

26 Jul

Hoje escolhemos este título porque na realidade é algo que acontece a todos, e muitas das vezes sem sequer ter a noção de tal coisa.

A comodidade trazida pelos órgãos da comunicação social é rapidamente enraizada no quotidiano das pessoas, isto porque o modo de vida acelerado da cidade, o stress e o desgaste não permitem a população ter abertura para descobrir.

Em suplemento existe sempre a internet, mas quando se trata de avanço tecnológico, estamos sempre ou quase sempre a mercê dos prazos estipulados pelas empresas.

Muitas das vezes que “ouvimos” falar do equipamento “A” ou do “B” como algo que esta na “berra” quando estes já tem anos e anos de estudo.

Nos últimos tempos têm sido adoptada uma nova forma de comercialização que por ventura passa por si utilizador.

As empresas têm apostado em criar uma ligação forte com o cliente, criando meios para que o cliente possa criar junto da marca. É um caso muito observável no mercado dos smartphones que trazem softwares que permitem a criação de gadgets, widgets e outros aplicativos para aumentar de uma forma abrasadora a experiencia do utilizador.

Mas sem mais rodeios queremos deixar aqui uma luz do que esta para vir.

As novas tecnologias encontradas nos “novos” smartphones trazem muitas funcionalidades, tais como o touchscreen, (ecrã sensível ao toque) que visa enriquecer a experiencia do consumidor, mas é facto que estas trazem também novas debilitações aos equipamentos.

Embora os ecrãs serem feitos de vidros especiais que se por um lado aumentam significativamente a durabilidade do mesmo, por outro a utilização do mesmo também é maior, restando as empresas opções entre ecrãs de qualidade mas muito frágeis, ou de ecrãs com menos qualidade e resistentes.

As marcas tentam encontrar o ponto médio da situação mas como não há muito por onde escolher, quem sai prejudicado é o consumidor.

Mas pelo que parece a Samsung não deseja o ponto médio, mas sim superar este desafio.

Têm-se em nota os estudos da Samsung ao longo do período de “1 ano” (confirmado, poderá ser mais que um ano) sobre os novos ecrãs com LEDs flexíveis.

Flexíveis, é mesmo a palavra, vamos passar a poder estar mais confortáveis enquanto usamos os nossos dispendiosos equipamentos, que por ventura até a data padeciam de um cuidado extra dado as suas debilitações.

Embora seja “obvio” que ninguém deseja destruir seus equipamentos de forma intencional, existem descuidos e acidentes dos quais as empresas poderiam gerar receitas, visto que as reparações destes equipamentos não são propriamente baratas, contudo, haveria também um grupo alargado de consumidores que não compraria os equipamentos por não se sentirem seguros em relação aos produtos.

Os LEDs flexíveis trazem uma maior resistência sem deixar a qualidade de imagem para traz.

http://www.youtube.com/v/f8S8tbQMp2k&hl=pt_BR&fs=1?color1=0xe1600f&color2=0xfebd01&border=1

A equipa de investigação da Samsung tentou abordar a questão usando os princípios básicos da física dos elementos, que, por ventura constituíam e constituem os equipamentos em questão.

Esta forma de visualizar o problema originou a ideia de, tentar fazer a troca de algumas variedades de plástico utilizadas na composição dos ecrãs pelo TFT (“thin film transístor – Transístor de película fina”). Embora o TFT já existir a um bom tempo, isto é considerando a sua implementação em monitores de computador, é uma tecnologia que têm vindo a ser aperfeiçoada, o que nos permitiu chegar até hoje onde poderão se tornar a reinvenção do ecrã.

As dúvidas permanecem no factor touchscreen, visto que a sensibilidade não é uma propriedade dos monitores, mas sim de uma película fibrosa que possui os sensores para o efeito.

A empresa coreana alega que mesmo que não se aplique aos touchscreen estará disponível para os utilizadores em 2012.

E você! Acha que a Samsung ira superar este desafio dos touchscreen?
O que acha desta nova tecnologia?
Acha que terá uma grande implementação?

Uma resposta to “De olhos fechados ao sabor do marketing!”

  1. Ana Julho 27, 2010 às 10:31 am #

    Sinceramente,acho que mais tarde ou mais cedo esse desafio será superado….á velocidade a que os progressos tecnologicos acontecem,acredito mesmo que nao irá demorar muito para que esse tipo de tecnologia seja implementado…
    Depois… provavelmente só irá depender mesmo da disponibilidade (financeira) de cada utilizador que esteja disposto a ter ao seu dispor este tipo de tecnologia…
    A ver vamos, o que nos reservam os proximos avanços tecnologicos..:)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: